quarta-feira, 9 de março de 2011

POSTURA DE UM LEVITA


"Ofereçamos a Deus, sempre sacrifício de louvor, que é o fruto de lábios que confessam o seu nome"(Hb 13.15)

Quando participamos do culto não devemos participar com o propósito de ter um momento abençoado, um receber de bençãos, e sim participarmos com o objetivo de adorar ao Senhor com gratidão. O momento de louvor na Igreja não deve ser agradável a Igreja e sim a Deus
.

CUIDADO COM AS LETRAS
Na década de 60 houve um movimento denominado de "movimento da renovação", onde se pregava que o culto devia deixar de ser tradicional para ficar mais animado. Parece-me que esse movimento ainda existe, principalmente no que diz respeito a louvor. Somos levados a escolher músicas que o povo goste e não músicas que agrade a Deus, que descreva seus atributos.

Hoje temos músicas que nem tocam no nome de Deus, algumas vezes aparecem "Ele" ou "Você" se referindo a Deus. Também é moda música afirmando que estamos "apaixonados" e tantas outras expressões que são perda de tempo comentar.

O QUE É LOUVAR?
Louvar não é cantar, no hebraico temos várias palavras para louvor:
Yâdâ: Confessar (Credo), louvar, dar graças.
Rûn: Exaltar
Zâmar: Louvar com instrumentos
Zâkar: Lembrar
Kâbed: Glorificar
Tôdâ: Confissão, confissão de pecados
Louvor é adoração em ação, é uma adoração com todas essas ações incluídas.

COMO DEVEMOS LOUVAR?
A resposta é muito simples e significativa: Com toda a nossa vida, é reconhecer os atributos de Deus. Louvá-lo com a nossa boca (Sl 63.3; Sl 51.15), com ações de graças (Ne 12.24; Sl 116.17), de joelhos (Ex 34.8), com o nosso corpo (I Co 6.20), com nossas obras e ações (Mt 5.16; Jo 15.8).
Nossa vida deve ser um louvor ao nosso Deus.

O QUE É UM LEVITA?
No texto de Nm 8.11 Arão apresenta os levitas como oferta perante o Senhor, e eles são para o serviço do Senhor. Falar de Levita é falar de serviço E SERVIÇO COM ALEGRIA E NÃO APENAS EM CUMPRIR UMA ESCALA ONDE SE FAZ APENAS O QUE É MANDADO.
Como você tem servido ao Senhor?

ADORAR A DEUS
Os ministros de louvor estão mais preocupados na reação da Igreja, como a Igreja está respondendo as músicas que estão sendo tocadas, ou com o próprio desempenho dos músicos.

Os homens que estão querendo dar o melhor a Deus não estão preocupados em não errar e sim em louvá-lo, se errar ou não, o melhor foi oferecido, Deus quer o nosso melhor e não o perfeito.
Ao invés de agradarmos as pessoas da Igreja deveríamos nos preocupar em agradar as pessoas da Trindade.

Na área da música um dos maiores perigos é a soberba, pessoas que acham que são boas demais, e que o grupo não vai pra frente sem ele. Hoje todos querem ser estrela, temos pessoas mais preocupadas com a carreira gospel do que com o anúncio do Evangelho.

Davi fez um pedido a Deus: Guarda da soberba o teu servo, que ela não me domine; então serei irrepreensível e ficarei livre de grande transgressão (Sl 19.13). Toda glória deve ser dada a Deus, precisamos nos esvaziar de nós mesmos. Você já parou pra pensar que Deus tem os melhores músicos(anjos) com Ele? O que o Senhor quer são servos, homens que o agradem.

O que Deus quer são verdadeiros adoradores (Jo 4.23), e não pessoas que fazem muito bonito, ou que tocam muitos instrumentos. Deus não precisa da nossa adoração pra ser Deus. Podemos fazer vários cultos, gravarmos vários cd´s promovermos programações, mas se nossos esforços não estiverem direcionados para o que o Senhor quer de nós, tudo será em vão.

SUBMISSÃO DE UM LEVITA
Uma das principais características do levita deve ser a submissão, o levita não é alguém independente, ele deve ser acompanhado por uma liderança e deve estar sujeito a ela, e todo o ministério de música deve estar sujeito ao Conselho e ao pastor da Igreja.

Ron Kenoly fez uma lista das atitudes dos líderes de músicas que incomodam o pastor:
- Não começar na hora certa
- Não terminar no momento determinado
- Falar muito
- Cantar coros que não são apropriados
- Roupas inadequadas
- Redundância das mesmas músicas
Ele disse: "Eu quero ser um bom administrador de Deus, não em termos de música, mas em experiência de vida, em lições valiosas que eu possa passar para outras pessoas. Tenho a responsabilidade pela visão e influência que me é permitida. Nunca tive um administrador, um promotor, eu tenho Jesus"

MÚSICA NA REFORMA
Agostinho reconheceu a importância da música na Igreja, mas também se preocupou com o perigo dos cânticos mexerem com as emoções mais do que deviam de modo que a Igreja seria levada mais pela melodia do que com a preocupação da própria letra.

Lutero dizia que o louvor tinha o poder de afugentar satanás. Ele se preocupava em todos cantarem e não apenas uns cantando e outros ouvindo, por isso rompeu com o "canto gregoriano" e fez uso das melodias populares de sua época.

Calvino teve muita influência de Agostinho, na sua obra " As Institutas" ele cita Agostinho 342 vezes. Calvino participou da elaboração do saltério de Genebra e uma coletânea de salmos para ser cantado na congregação.
A Deus o louvor, a Deus o viver.

2 comentários:

Nando Jesus disse...

Ótima crônica, Fillipe! Vou citá-la aos músicos no ensaio de amanhã do grupo de louvor, dos jovens e da orquestra da igreja.
Um ensino direto e com palavras de fácil assimilação.
Na paz.

Lucas disse...

muito bonito esse trabalho brother
parabenss

Postar um comentário