sexta-feira, 11 de março de 2011

Os Dois Caminhos


 

"Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela; E porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem" Mt 7: 13- 14.

Jesus apresentou aos ouvintes do Sermão do Monte uma necessidade: a de entrar pela porta estreita. Em seguida Ele apresenta o motivo pelo qual é necessário entrar pela porta estreita: “Pois larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição....
Diante da necessidade exposta, surgem as perguntas: O que é a porta estreita? Como entrar por esta porta? Por que a necessidade de entrar pela porta estreita é apresentada como a única saída para o homem livrar-se da perdição?
O Sermão do Monte não é um aglomerado de idéias desconexas. Perceba quem através das Bem-aventuranças Jesus conquista a atenção dos seus ouvintes Mt 5: 1- 12. Em seguida apresentou a condição dos seus discípulos Mt 5: 13- 16.
Alerta os seus ouvintes sobre aspectos importantes da sua missão:
a)Jesus não veio destruir e nem descumprir a lei e os profetas (v. 17);
b)Jesus demonstrou aos seus ouvintes que é impossível entrar no reino dos céus seguindo a doutrina dos escribas e fariseus, uma vez que nem mesmo eles haviam alçando a justiça de Deus (v. 20);
c)Jesus apresenta exemplos práticos de como é impossível entrarem no reino dos céus através do cumprimento da lei, quando apresentou aos seus ouvintes o inatingível espírito da lei “Eu, porém, vos digo que qualquer que atentar numa mulher para a cobiçar, já em seu coração cometeu adultério...”(Mt 5: 21 à 7: 11);
d)Jesus demonstra que a lei e os profetas resume-se em um só mandamento: ‘amar o próximo como a si mesmo’ (Mt 7: 12).
A parábola das duas portas e dos dois caminhos é a resposta para a impossibilidade do homem salvar-se Mt 7: 13. Jesus demonstra que o reino dos céus continua inacessível aos seguidores da doutrina dos fariseus Mt 5: 20.
Somente após entrar pela porta estreita o homem alcança justiça superior a dos escribas e fariseus.
A mensagem que o Senhor Jesus trouxe através do Sermão do Monte é una, concisa e precisa no que propõe. Na essência o Sermão do Monte é igual ao diálogo de Jesus com Nicodemos, porém, o Sermão do Monte tinha como alvo o povo, e o diálogo com o Mestre em Israel, tinha como alvo o homem erudito.
Ora, tudo o que foi demonstrado no Sermão do Monte, Jesus também revelou a Nicodemos, conforme o apóstolo João deixou registrado no seu Evangelho:
a)Era impossível Nicodemos entrar no reino dos céus, embora representasse o melhor da religião, do conhecimento, do comportamento, e da moral humana;
b)Jesus demonstra que a doutrina que Nicodemos seguia não o conduziria à salvação, antes, era necessário nascer de novo;
c) Da mesma forma que, para um Mestre é necessário nascer de novo, para o povo era necessário entrar pela porta estreita.
Observe que o 'novo nascimento' é equivalente à figura da 'porta estreita'. A equivalência esta na necessidade de se entrar pela porta estreita, e na necessidade do novo nascimento. Não há outro meio de acesso à porta estreita, a não ser através do novo nascimento que se dá pela fé em Cristo Jo 3: 16.
Por que é preciso nascer de novo? Por que é necessário entrar pela porta estreita? Para escapar do caminho espaçoso que conduz à perdição Jo 3: 16; Mt 7: 13.
Quando Jesus disse que era necessário Nicodemos nascer de novo, Ele estava demonstrando que era impossível Nicodemos alcançar a vida eterna seguindo a doutrina dos fariseus.
O maior problema de Nicodemos não era a prática da lei, ou o ser descendente de Abraão, elementos que ele considerava ser o caminho que dá acesso a Deus.
Qual o maior problema de Nicodemos? O maior problema estava em ele trilhar o caminho que conduz a perdição.
Quando Nicodemos entrou pela porta larga? O que ele fez para ter acesso a essa porta? O que é a porta larga?
Sabemos que Jesus é a porta estreita que conduz o homem a salvação, mas o que é a porta larga? A resposta está no versículo seguinte: “Assim está também escrito: O primeiro homem, Adão, foi feito em alma vivente; o último Adão em espírito vivificante” I Co 15: 45. 
Ao observar o que Paulo escreveu aos Coríntios, temos que Adão é a porta larga, e Cristo, por ser o último Adão, a porta estreita.
O maior problema de Nicodemos estava na porta que ele entrou quando veio ao mundo.
Ou seja, o nascimento é a porta de entrada para os dois caminhos. É através do nascimento que o homem entra pelas portas que dá acesso ao caminho largo ou caminho estreito.
O homem entra pela porta larga através do nascimento natural por nascer de uma semente corruptível, a semente de Adão. Somente é possível entrar pela porta estreita quando o homem nasce de novo, através da Palavra de Deus, a semente incorruptível. 
Ou seja, tanto a porta larga quanto a porta estreita são 'acessadas' por meio do nascimento. A porta larga é acessada quando os homens vêem ao mundo, quando nascem da semente de Adão (a semente corruptível). Da mesma forma, a porta estreita só é acessada através do novo nascimento, quando o homem nasce da semente de Deus (a semente incorruptível) I Pe 1: 23.
Nicodemos precisava nascer de novo uma vez que ele era nascido segundo Adão. Ele era filho da ira e da desobediência. Por mais que ele procurasse seguir os quesitos da lei, o seu caminho era de perdição, pois a porta que Nicodemos havia entrado era a porta larga, e como 'muitos', ele seguia para a perdição.
Nicodemos foi informado que para entrar pela porta estreita que é Cristo, era necessário nascer novamente. Era preciso crer em Cristo (o enviado de Deus), para que Nicodemos pudesse nascer de novo.
Por meio da fé na mensagem do evangelho o homem nasce da semente incorruptível (que é a palavra de Deus), e tem acesso ao caminho apertado. São 'poucos' os que encontram a porta estreita, se comparado aos que entram pela porta larga.
Verifica-se então que a parábola dos 'dois caminhos' refere-se à necessidade do novo nascimento, e que o cumprimento da lei diz respeito ao amor ao próximo, e não à salvação, como muitos pensavam.
Se a lei fosse para a salvação, não seria preciso Moisés clamar ao povo, logo após a entrega da lei, o seguinte: "Circuncidai, pois, o prepúcio do vosso coração, e não mais endureçais a vossa cerviz" Dt 10: 16.
Observe que o cumprimento da lei real (amor) somente tem valor após a obediência ao mandamento divino, que é crer em Cristo: "Ora, o seu mandamento é este, que creiamos no nome de seu Filho Jesus Cristo..." I Jo 3: 23, ou seja, amar o próximo, somente é válido após o novo nascimento, ou seja '...segundo o mandamento que nos ordenou' (v. 23)"Todavia, se cumprirdes, conforme a Escritura, a lei real: Amarás a teu próximo como a ti mesmo, bem fazeis" Tg 2: 8.
Os discursos de Jesus e Paulo em momento algum destoam, visto que 'entrar pela porta estreita' é o mesmo que 'viver em Espírito', ou seja, decorrem do ‘novo nascimento’. Andar no caminho apertado que conduz a vida é o mesmo que 'andar em Espírito', ou seja, andar como filhos da Luz Gl 5: 25 e Ef 5: 8.

1 comentários:

Marivan disse...

Seja bem-vindo ao UBE. Gostaria de ser seu amigo.Pode acompanhar as minhas notícias e se tornar membro do meu blog no:
http://radiopentecostal.blogspot.com/

Qualquer coisa estamos por aí.

Marivan.

Postar um comentário